Criando conteúdo a partir do Tomboy

Muitos já devem ter ouvido falar do Tomboy. É um simples e simpático utilitário de notas pessoais, no estilo Post-It, mas que utiliza o mesmo conceito de links de um Wiki para ligar idéias/notas.

Já havia começado a utilizá-lo há um bom tempo atrás, mas, por algum motivo que não me vem a mente no momento, simplesmente deixei de utilizá-lo e acabei esquecendo de sua existência.

Nos últimos dias, estava procurando uma solução para me auxiliar a anotar pensamentos e idéias rápidas, de forma simples, sem muita frescura, somente para que as mesmas não se percam. Com o tempo, de pois, as mesmas podem ser mais bem trabalhadas. O importante é, como em fotografia, capturar o momento.

O Tomboy é útil exatamente para isso. Você está lendo, ouvindo, escrevendo ou vendo algo e uma idéia interessante surge. Ao invés de se iludir tentando guardá-la na cabeça e correr o risco de perdê-la posteriormente, você simplesmente a anota em uma nota no Tomboy.

Durante os dois ou três dias em que recomecei a utilizá-lo, o Tomboy já me auxiliou a organizar idéias pessoais e profissionais e já consegui finalizar algumas tarefas que sempre ficavam pendentes por eu acreditar que eram muito simples para serem anotadas.

Ledo engano, visto que sempre acaba me esquecendo das mesmas e, no final das contas, nunca as realizava, já que nunca lembrava das mesmas ao emaranhado de idéias em ebulição que pintam em minha mente a todo momento.

Um do recursos que eu procuro em qualquer software que seleciono para incluir em minha rotina de uso é a capacidade de, além de ser simples, não atrapalhar. Ou seja, o software precisa fazer o que se propõe a fazer e não criar empecilhos e/ou dificuldades para que seu uso seja efetivo.

O Tomboy fornece isso, ficando lá, estacionado quietinho no painel do GNOME como todo applet bem comportado deveria fazer, sendo facilmente alcançado com um clique ou uma única combinação de teclas, aparecendo somente quando chamado e desaparecendo o mais rápido possível para não interferir no fluxo de trabalho.

Além dessas características, outra coisa que o Tomboy oferece é uma arquitetura de plugins. Ele já é fornecido com inúmeros plugins e possui diversos outros desenvolvidos por terceiros, os quais acrescentam funcionalidades interessantes.

Um exemplo são os plugins de sincronização de notas. Enquanto a sincronização de notas online não se estabelece como um recurso carimbado como estável e o serviço Snowy (o qual utilizará a nova Tomboy Web REST API para colocar suas notas na nuvem) não é oficialmente lançado, podemos fazer uso dos plugins de sincronização de notas em diretórios locais ou remotamente via WebDAV ou SSH, usando sshfs/FUSE.

Venho usando a sincronização de notas através do plugin de sincronização SSH, que utiliza a tecnologia FUSE para “montar” um espaço em um servidor remoto, via SSH, e armazenar as notas do Tomboy lá, remotamente.

Dessa forma, é possível ter acesso a suas notas a partir de qualquer computador que tenha o Tomboy instalado. Não possuo Microsoft Windows instalado, mas já testei o Tomboy em GNU/Linux e MacOS e existem versões para Windows. Suas notas em qualquer lugar, a partir de qualquer plataforma.

Por ser de fácil uso, o Tomboy lhe incita a escrever notas sobre os mais simples e, aparentemente, mais inofensivos pensamentos possíveis. Isso é ótimo, pois invariavelmente você acaba sempre se lamentando de ter esquecido uma boa idéia que lhe passou pela cabeça e acabou sendo esquecida.

Idéias boas são raras. Não devemos tentar ficar exercitando o cérebro tentando armazená-las indefinidamente. Além de ser quase impossível, existem outros usos mais nobres para nossas mentes do que ficar guardando cada pequeno pensamento. Deixe uma ferramenta como o Tomboy fazer o trabalho sujo para você.

Um outro exemplo de plugin que comecei a utilizar agora e que, acredito, passarei a utilizar com uma frequência muito maior daqui em diante é o TomboyBlogposter, um plugin para postar suas nota do Tomboy como posts em seu blog.

Este, senhoras e senhores, é o primeiro post que vos ofereço, diretamente do meu novo “bloco de notas” pessoal virtual, o Tomboy.

Anúncios