mutt and offlineimap to the rescue

Como eu havia comentado em um post anterior, eu havia mudado de cliente de e-mail padrão, do mutt para o Thunderbird (agora IceDove, ao menos no Debian), principalmente porque, ao menos no Debian, o Thunderbird já vinha com o patch que permitia que a funcionalidade de Reply-To-List fosse acrescentada somente com a instalação de uma extensão (plugin).

Essa funcionalidade (além de muitas outras) era algo que o mutt me oferecia e à qual eu já estava extremamente acostumado. Algo de que eu realmente não poderia abrir mão. Usei o Thunderbird durante alguns meses, mas estava sentindo falta de algo que me permitisse ter a mesma visão de minha caixa-postal, incluíndo pastas, mensagens removidas, respondidas, encaminhadas, lidas, etc, usando mais de um cliente de e-mail.

Eu geralmente usava o Thunderbird em casa e, quando estava fora e sem notebook, usava o Webmail. Poderia resolver meu problema sempre usando o Webmail, mas, francamente, prefiro recorrer a ele somente em último caso, visto que considero Webmails bastante limitados em termos de funcionalidades se comparados a clientes de e-mail habituais.

Passei a utilizar IMAP (na verdade, IMAPS), o que me permitiu ter a mesma visão de minha caixa-postal tanto pelo Thunderbird quanto pelo Webmail. Porém, depois de algum tempo, comecei a notar que o Thunderbird estava se tornando muito lento. Na verdade, a medida que a quantidade de mensagens a serem gerenciadas aumentava, ele ficava mais lento e parecia consumir mais memória e processador, mesmo com as tradicionais faxinas removendo mensagens antigas e não mais necessárias.

Sem contar que tive alguns problemas com o Thunderbird que me fizeram perder várias mensagens importantes, o que me fez ter que entrar em contato com diversas pessoas pedindo para que as mesmas reenviassem suas mensagens, algo não muito bonito de se fazer, acreditem. Tudo bem, parte disso foi bobeira minha, mas mesmo assim isso me deixou com a pulga atrás da orelha com relação ao Thunderbird, algo que nunca havia acontecido em todo o tempo que usei o mutt.

Hoje, feriado, um pouco de tempo livre, comecei a tentar a usar o mutt via IMAPS e, após acertar algumas configurações em um dos perfis que criei para isso, tudo passou a funcionar como eu queria. Lógico, por se tratar de manipulação remotas das pastas, é algo um pouco lento, mas extremamente mais rápido do que o Thunderbird, sem contar que o consumo de memória e processador nem se compara : quase nada em relação ao Thunderbird. Minha máquina de uma forma geral ficou bem mais utilizável.

Outra coisa que eu queria fazer, independente de cliente de e-mail, é uma solução que me permitisse ler minhas mensagens desconectado (em modo offline), mas sem que para isso tivesse problemas com a sincronização do estado das mensagens e outros detalhes com o servidor IMAP. O modo offline do Thunderbird não me parecia tão eficiente.

Passei a usar o offlineimap (pacote Debian de mesmo nome), que me permite fazer sincronização bidirecional de minhas pastas de mensagens da minha estação com o servidor IMAP. Agora, se eu acrescento, removo, respondo, movo ou faço qualquer outra operação com mensagens, o offlineimap sincroniza essas operações de e para o servidor IMAP, de forma bastante rápida, em questão de segundos, e de forma segura, via SSL.

Já criei um alias de nome sync-mail, que dispara o offlineimap, onde forneço minha senha (que trafega de modo seguro entre minha máquina e o servidor IMAP) e tenho todo o conteúdo de minhas pastas sincronizado de forma rápida e fácil. Deste ponto em diante, é śo usar o mutt localmente, apontando com fonte a estrutura Maildir criada pelo offlineimap. Agora sim, a coisa toda está um avião de tão rápido e eu tenho acesso a todas as funcionalidades interessantes do mutt que não conseguiria encontrar em nenhum outro cliente de e-mail.

Ah ! O autor do offlineimap é um desenvolvedor Debian. Ele desenvolve o software e também mantém o pacote Debian dele 🙂

Anúncios

Um comentário sobre “mutt and offlineimap to the rescue

  1. Olá Andre …

    Eu uso o sylpheed-claws a muitos anos … já usei até a versão para windows … gosto del pois é muito modulavel, leve (dai o nome sylphos) e aceita conexão via pop3s, imaps, criptografia via s/mime e pgp.
    Tem modulos para praticamente tudo … spam, virus, redirecionamento, scripts e etc … uso juntamente com procmail.
    O unico problema, para alguns e nao para mim, é que ele recebe mas nao envia e-mail em html.
    Fica a minha dica e preferencia.

    Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s