Por quê Debian ?

Tenho aqui comigo o início de um texto antigo, que comecei a escrever há uns dois anos atrás, sobre porque eu uso Debian. Nunca consegui finalizá-lo direito, mas achei que não seria justo deixá-lo aqui jogado em um diretório empoeirado de meu HD (meu ~/txt tem muita coisa iniciada e não finalizada).

Um dia ainda vou terminá-lo e acrescentar mais conteúdo, só preciso estar num dia inspirado para tirar todas as idéias da cabeça e colocá-las na forma de palavras. De qualquer forma, mesmo inacabado, espero que gostem. E lembrem-se : meu blog aceita comentários 🙂

Por quê Debian ?

Eu também ouço esta pergunta quase diariamente. Para que eu não tenha que respondê-la novamente a toda vez que me perguntem, resolvi sentar e escrever uma resposta padrão para a mesma. Assim, toda vez que alguém me faz esta mesma pergunta novamente, eu simplesmente peço para a pessoa ler este texto.

Aspectos técnicos

Qualidade. Sim, qualidade. Erroneamente, a maioria das pessoas que não utilizam Debian ou que não o conhecem pensam que o grande motivo pelo qual o Debian se diferencia das outras distribuições GNU/Linux é puramente pela existência da ferramenta APT, a qual auxilia na resolução automática de dependências, facilitando enormente o gerenciamento de softwares.

Realmente, trata-se de uma ferramenta extremamente útil. Porém, atualmente, diversas distribuições GNU/Linu baseadas em pacotes no formato RPM (Red Hat, Fedora, Mandriva, etc) utilizam por padrão ou suportam, mesmo que não oficialmente, mecanismos de resolução automática de dependências e gerenciamento de softwares similares ao APT. Algumas até mesmo utilizam um porte do próprio APT, adaptado para funcionamento com pacotes no formato
RPM.

O que diferencia o Debian das demais distribuições GNU/Linux é a qualidade. O apt-get é a parte visível à qual o usuário tem acesso e que parece fazer toda a mágica. Porém, por atrás dele, existe um componente fundamental, frequentemente esquecido pelos usuários : a política de empacotamento de softwares Debian. O projeto Debian possui um documento extenso e altamente detalhado, que descreve, em cada mínimo detalhe, ao que um pacote de software precisa estar atento para poder ser considerado um pacote oficial e fazer parte da distribuição.

A política de empacotamento de softwares é o que faz com que o Debian seja altamente superior às outras distribuições. Ela é bem definida, clara e é aplicada rigorosamente. Ferramentas de apoio aos desenvolvedores auxiliam a reforçar a aplicação das regras ditadas pela política e qualquer pacote de software que não siga fielmente o que dita o Manual de Políticas Debian não é incluído em uma versão oficial da distribuição, não importando o quão importante seja o componente de software fornecido pelo pacote.

Isso, somado às diversas equipes internas existentes dentro do projeto Debian, garante a qualidade da distribuição. Equipes de QA (Quality Assurance), de segurança, de gerência de release, gerência de relatos de erros e diversas outras equipes garantem que um sistema operacional funcional e altamente integrado seja criado, em oposição a mera correção de problemas em pacotes de softwares isolados.

Adicionalmente, cada software passa por um intenso processo de avaliação antes que possa ser aceito oficialmente e adicionado a distribuição. Além dos inúmeros detalhes técnicos, também existe uma equipe de especialistas legais que analisam as licenças de distribuição dos softwares antes de aceitá-los como parte da distribuição.

O fato do Debian ser atualmente a distribuição GNU/Linux que suporta a maior quantidade de arquiteturas de hardware que o kernel Linux suporta também adiciona qualidade à distribuição, uma vez que, como parte do processo de porte das aplicações para uma arquitetura de hardware suportada pelo Debian, inúmeras falhas são descobertas e corrigidas, o que contribui
para a qualidade final do software.

Logicamente, some a isso tudo o fato do projeto Debian possuir o maior acervo de softwares livres empacotados e prontos para uso existente da atualidade, deixando para trás todas as outras distribuições GNU/Linux, inclusive as distribuições comerciais. Atualmente, são mais de 15.000 pacotes de softwares prontos para uso e facilmente instaláveis.

Aspectos estratégicos (ou independência tecnólogica)

Uma das grandes vantagens estratégicas que se ganha ao utilizar Debian é a independência tecnológica. Lógico, a grande maioria das distribuições GNU/Linux atuais são livres, mas nada garante que continuarão a ser livres por toda sua existência.

Claro, sempre existirão grupos de pessoas dispostos a iniciar uma nova distribuição com base em uma versão livre existente de uma distribuição comercial caso algo aconteça com a empresa que a desenvolveu e que impossibilite a continuidade da distribuição. Mas criar uma comunidade e manter um projeto grande como o de uma distribuição GNU/Linux, com toda a infraestrutura já fornecida pelo projeto Debian, leva tempo, anos. E consome anos de trabalho de milhares de voluntários. O projeto Debian já tem tudo isso funcionando e uma experiência de 13 anos nessa àrea.

Exemplos de problemas com o envolvimento de interesses privados de empresas no desenvolvimento de distribuições GNU/Linux não são somente teóricos e recentemente tivemos provas da existência dos mesmos, com empresas privadas terminando a continuidade do acesso a atualizações de seguranças para suas distribuições de uso livre e sem custo e, em
muitos casos, praticamente obrigando seus usuários a migrarem para versões comerciais de suas distribuições.

O projeto Debian criou o Contrato Social Debian. O item número 1 desse contrato social diz que o Debian irá sempre permanecer composto de 100% software livre. De igual importância, o item número 4 desse mesmo documento diz que a prioridade do projeto Debian será sempre seus usuários e o software livre, o que, na prática, garante que interesses comerciais não serão colocados em primeiro plano e que os usuários não serão forçados a migrarem para versões comerciais da distribuição em momento algum.

A Definição Debian de Software Livre, mais um documento produzido pelo projeto Debian, possui grande importância na comunidade de software livre, tendo sido utilizado como base para a criação do Definição de Código Aberto (Open Sorce), a qual individuais e empresas aderentes ao modelo de desenvolvimento aberto de software usam como base para criação de licenças de softwares que os qualifiquem como software aberto (Open Source).

Ok, é isso por enquanto. Um dia ainda termino e acrescento mais conteúdo. Quem quiser comentar e dar novas idéias, esteja a vontade, nos comentários ou por e-mail.

Update: Mais sobre o assunto “Por quê Debian ?” pode ser lido (em inglês) no excelente WhyDebian, no Wiki oficial do projeto Debian. Aliás, tenho já há muito tempo atrás a idéia de traduzir esse texto, mas às vezes tenho medo devido ao inglês, em alguns momentos, meio rebuscado usado pelo Manoj 🙂

Anúncios

11 comentários sobre “Por quê Debian ?

  1. Obrigado 🙂 Coloquei alguns comentários no seu último post sobre projetos de software livre sem grandes patronos. Quando quiser comenta, esteja a vontade.

  2. Amigo, li o seu teste, algo realmente empolgante e construtivo. No entanto, estou fazendo um trabalho para faculdade e não consigo achar a defnição, ou uma definição para o que é DEBIAN, peço que seu enorme entendimento, me dê uma luzinha. Grato pelo conhecimento oferecido gratuitamente. Aguardo sua resposta!!!!

  3. estou estudando o banco postgresql e vim parar aqui atraves da sugestao de se utilizar o debian com postgresql. poderiam dizer-me se temos debian em pt-br? aconselham a utilizacao ao inves do en? qual atual versao oficial? site para download? muito obrigado!
    parabens pelo artigo!

  4. @hugo

    Debian é o mesmo, independente do idioma. Você pode optar pelo idioma desejado durante a instalação e Português do Brasil é um dos idiomas disponíveis. Quanto a recomendação de qual idioma utilizar, fica a seu crittério.

    Irá funcionar exatamente da mesma forma independente do idioma utilizado. Não existe uma versão com menos ou mais bugs/problemas dependendo do idioma escolhido. Você pode trocar o idioma oficial utilizado mesmo depois de instalado e não será necessário reinstalar nenhum software devido a isso ou mesmo utilizar versões diferenciadas.

    O próprio site oficial do projeto Debian está traduzido para Português do Brasil. Acesse-o em http://www.debian.org/. Todas as suas dúvidas já estão respondidas nesse site, incluíndo a versão atual, link para download e muita documentação sobre diversas áreas do projeto Debian e do sistema operacional produzido pelo mesmo, o Debian.

    Obrigado pela visita e pelo comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s